Com a eleição de Hollande em França, prepara-se a arruaça degradante socialista portuguesa. E a arruaça socialista passa por Isabel Moreira, e por isso é que o pasquim Público lhe dedica 8 páginas da sua última revista. O acaso não existe.
Isabel Moreira
A arruaça socialista portuguesa passa por ir ainda mais longe do que o ideário decadente anunciado por Hollande em matéria de costumes. Para os arruaceiros socialistas portugueses, acolitados pelo Bloco de Esquerda e sob o signo de Isabel Moreira, a vitória de Hollande em França funcionou como uma espécie de reflexo condicionado de Pavlov que os impele para novas leis que adequam [ainda mais!] a norma ao facto, e que visam degradar ainda mais a cultura e os costumes.
E no meio disto tudo não temos ninguém que nos proteja. A Igreja Católica do arcebispo colorido muda os nomes de pessoas baptizadas que “mudaram de sexo” — como se fosse possível mudar de sexo...! No CDS/PP temos um líder que faz parte do “clube”. E no Partido Social Democrata temos o líder mais relativista que alguma vez lá entrou. Estamos entregues aos lobos.